20 de novembro de 2017

MACAU 2018


Sergio Sette Câmara e Ferdinand Habsburg travaram um duelo espetacular pela vitória na F3 em Macau. No fim das contas, acabaram os dois no muro, na última curva e a vitória caiu no colo de Daniel Ticktum. Coisas do esporte a motor. 

16 de novembro de 2017

KDA 2K17 - ETP#6 EDIÇÃO DRONE


Fechando a temporada 2017 - KDA - uma edição com imagens capturadas por Drone na última etapa, realizada no Kartodromo Internacional Beto Carrero. Tá ficando bacana o negócio!

NAS ONDAS DO RÁDIO

A seção gazeou ontem motivada pela feriado. Mas hoje retorna com mais uma banda da terrinha. Dessa vez com Dazaranha - Vagabundo Confesso

14 de novembro de 2017

BRASIL 17 - PITACOS PÓS GP

Ainda que os puristas critiquem e muito, o atual traçado de Interlagos, a pista paulistana é sem dúvida uma das melhores do calendário da F1.

A corrida deste final de semana pode não ter sido a melhor apresentação da categoria na história deste circuito, mas é preciso reconhecer, mesmo sem a presença da chuva foi divertida, proporcionando bons pegas.

É claro que muito da diversão foi em função da posição de largada de Hamilton. O piloto inglês fez o que se esperava. Numa estratégia de recuperação realizou uma belíssima prova, extraindo tudo o que era possível da sua Mercedes. Foram muitas as ultrapassagens, tornando Hamilton o protagonista da corrida. Quando os ponteiros começaram a realizar suas paradas, chegou a liderar a prova, para delírio da torcida brasileira presente em Interlagos. No entanto, a  realidade para o britânico era lutar pelo pódio...

Pódio esse, que chegou a parecer possível e, seria um belo prêmio. Mas quando Hamilton colou em Raikkonen os pneus já tinham acabado.E convenhamos, superar o finlandês a poucas voltas do fim não é algo tão simples. De todo modo, foi uma bela apresentação.

Lá na frente tudo se definiu na largada. Vettel assumiu a ponta na primeira curva e nesse momento encaminhou a quinta vitória na temporada, terceira do Brasil e a 47ª da carreira. Bottas e Raikkonen mantiveram as posições completando o pódio.

Outro personagem da corrida que merece algumas linhas é Felipe Massa. Se no ano passado a primeira despedida foi marcada por lagrimas e emoção a desse ano foi intensa.

O piloto brasileiro fez uma bela largada e andou o tempo inteiro no limite do seu equipamento, travando um duelo interessante com Fernando Alonso. No fim das contas, terminou em sétimo. Abaixo dos seis carros das três maiores equipes - Mercedes, Ferrari e Red Bull. Acabou sendo o que se convencionou chamar de o primeiro dos outros. Alguns dirão que é pouco, mas não havia como fazer mais que isso. Foi uma despedida digna.




11 de novembro de 2017

BRASIL 17 - LARANJINHA

Tudo indicava para um passeio de Lewis Hamilton. A  73ª pole parecia ser apenas uma questão de tempo. No entanto, um erro incomum do piloto inglês na curva do laranjinha, na sua primeira volta rápida, acabou com suas chances do treino classificatório. Acontece...

Sem Hamilton a briga pela pole ficou restrita a Bottas e Vettel.

Com a chuva rondando o circuito paulistano a poucos minutos do fim da sessão classificatória, o alemão da Ferrari chegou a sentir o cheirinho da pole. O time italiano estava pronto para comemorar quando Bottas no apagar das luzes, arrumou um volta excepcional e por muito pouco,  0s038, anotou a sua terceira pole position da carreira.

Com uma Mercedes em cada extremo do grid, a corrida reúne ingredientes para ser bem interessante amanhã.

10 de novembro de 2017

BRASIL 17 - PROGRAMAÇÃO

A F1 desembarca em terras paulistanas para a penúltima etapa do Mundial. Ao contrário da temporada passada, dessa vez chega a Interlagos com o campeonato sacramentado.

O tetracampeão Lewis Hamilton é favoritíssimo a fazer cabelo, barba e bigode neste final de semana no circuito Jose Carlos Pace. O jovem inglês está guiando o fino e convenhamos, a Mercedes é de longe o melhor carro do grid.

A meteorologia indica chuva para sábado e sol no domingo. De todo modo, com a pista seca ou molhada, a equipe dominante será a mesma das três edições anteriores, a Mercedes. Red Bull e Ferrari como de hábito deverão duelar pelo último degrau do pódio.

Quanto a Felipe Massa que fará dessa vez a sua última corrida em Interlagos a bordo de um F1, em condições normais, não terá chance de pódio.

De todo modo, o circuito paulistano na maioria das vezes proporciona bons pegas. Esperamos uma boa corrida no domingo para encerrar a temporada. Até porque, a próxima em "Abundabe" pra mim não conta. 

Ah sim, dessa vez a Vênus Platinada fará a transmissão da classificação.

Abaixo a programação:


9 de novembro de 2017

GP DO BRASIL - A PRIMEIRA VEZ

Em 1989, tive a oportunidade de assistir com alguns amigos o meu primeiro GP do Brasil de F1. 

Na época, a corrida era disputada no circuito de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro.

Lembro que a organização não era das melhores, o acesso aos portões era péssimo, um empurra empurra danado até conseguir entrar no circuíto. A estrutura no autodromo carioca era precária. Mas nada disso importava...

Chegamos ao local as três da madrugada e aguardamos na fila até o amanhecer para entrar no místico circuito de Jacarepaguá. Quando os portões foram finalmente abertos, nosso objetivo era ficar o mais alto possível numa das arquibancadas do retão. 

Sabíamos que quanto mais alto, além da visibilidade ser melhor, a chance de levar um saco de mijo nas costas ficava reduzida. Pois é, isso era comum naquela época. Todos buscavam assegurar um lugar no alto da arquibancada. E após a conquista, poucos se aventuravam a descer de seus lugares, e caso descessem, dificilmente voltariam a sentar no mesmo ponto. 

Mas tirando esse lado "underground", o autodromo enchia os olhos, principalmente daqueles que o  contemplava pela primeira vez. 

O desenho da pista era sensacional. Mesclando curvas de alta e baixa com uma longa reta. No final do retão era onde aconteciam belas ultrapassagens, no mergulho da curva Sul. 

Observar carros embutidos rasgando a grande era sensacional. O melhor de tudo no circuito carioca, era poder observar a pista em sua totalidade do alto das arquibancadas. Ao contrário  do circuito de Interlagos, onde se observa a pista apenas parcialmente.

Recordo perfeitamente daqueles dias - dos treinos, da classificação e logicamente da corrida. Assistir Senna e Piquet juntos na pista, fez valer o ingresso.

Era um novo tempo, com o fim da era turbo e o retorno dos carros com motores aspirados. Haviam 38 carros inscritos e vinte equipes, isso mesmo, vinte equipes. E com tantos carros, existia a pré-classificação - onde 12 carros disputavam as últimas quatro vagas no grid.


Na corrida, Senna acabou se enroscando na largada com Ricardo Patrese e Gehard Berger na curva 1, logo após a largada. Poderia ter abandonado a prova logo após o acidente, mas o piloto brazuca mostrou todo seu profissionalismo. Sem o bico e com o carro avariado, voltou aos boxes, recolocou a asa, perdeu duas voltas e retornou a pista. No fim das contas, terminou em 11º.


A vitória ficou com Nigel Mansell, a sua primeira na Ferrari. Alain Prost (McLaren) e o brasileiro Mauricio Gugelmin (March), completaram o pódio - segundo e terceiro colocados respectivamente.


Valeu muito a pena estar em Jacarepaguá naquele ano. Justamente a última vez que a F1 correu por lá. Uma bela lembrança que fica guardada na memória. 



8 de novembro de 2017

NAS ONDAS DO RÁDIO

Nas Ondas do Rádio sempre volta. Nessa nova fase do blog, terá lugar cativo as quarta-feiras. Inaugurando a série, a banda da catarinense Expresso Rural - Certos Amigos na versão acústica.